Enredo

Foi se apaixonar logo por ela. Ela que era paixão de todos. Virava todas as cabeças na subida do morro e nos ensaios da escola era destaque. Se viam pelos becos nas noites sem lua e ninguem nunca desconfiou.
Típico malandro. Era o que ela achava. Chamava de canalha sempre que aprontava e ele gostava som que tinha. Ela sempre voltava.

Escreveu pra ela um samba pra cada desculpa. Um em especial ela adorava, talvez sem entender, mas sabia que era o mais especial. Sempre que ele cantava debaixo da janela era dez em todas as categorias, podia ouvir até bateria do seu coração.

‘Desclassifiquei o amor de tantas alegrias’
ele dizia choroso. Ela sempre sorria, e aquele sorriso era seu troféu, sua dispersão, desfile campeão.

Anúncios

4 comentários sobre “Enredo

  1. Amigo,

    você conseguiu traduzir tão bem a ligação do samba com o amor que eu pensei que só o carioca fosse capaz de tal proeza.
    vem pra cá, vamos nos embebedar nos becos dos morros sem lua, vamos fazer um samba a dois.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s